Stevie Wonder (debut in Rio)


Carolina Mendes, Revista Bula

“Tem gente que nasce com uma estrela na testa. Uma marca de nascença que reluz durante toda a vida quando bem cuidada, e que ofusca qualquer margem de ceticismo ou teimosia que a ela se oponha. Tem gente que pelos caminhos mais tortos, escreve  mais do que o certo, escreve o atemporal. 

Rock in Rio 2011: puta programa de índio para gente normal. Estou aí excluindo os espertos, os célebres e os ricos. Gente normal que pega o ônibus normal e fica no lugar normal e que quer ver os shows principais. Cansativo, longe, caro, sujo. Uma noite de Jamiroquai, Janelle Monáe e Stevie Wonder, com um Ke$ha no meio do caminho. Uma moça com a ingrata tarefa de cantar depois da miúda Janelle e sua estrela na testa. Janelle e sua dança, Janelle e sua voz, Janelle e sua banda. 

Janelle que brigou como gigante pelo público que estava ali, e venceu. Janelle que veio depois do “luau in Rio” do pessoal que fez tributo ao Renato Russo. Muito saião hippie e muita gente que deve citar Clarice Lispector, sem provavelmente ter lido de fato Clarice Lispector.”
Artigo Completo, ::Aqui::
Enviar Google Plus

About Antonio Ferreira Nogueira Jr.

Contato- nogueirajr@folha.com.br
Revista- WMB

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: