Walking Dead - O caminho dos mortos na cultura pop


Noah Mera, Digestivo Cultural

"Os zumbis são um caso interessante de mitologia formada a partir da cultura de massa através da apropriação de um obscuro mito caribenho. Algo semelhante ao que se ensaiou com os vampiros adolescentes de Crepúsculo ao apropriar-se de um mito e reinventá-lo (a maior aceitação dos zumbis talvez se deva ao fato dos vampiros serem criaturas mais cristalizadas no inconsciente coletivo). No mito original o zumbi é alguém enfeitiçado por um feiticeiro (bokor) que morre e retorna como um escravo sem vontade ou pensamentos. Já no filme de George Romero A noite dos mortos-vivos de 1968 o tom dos mortos vivos assume uma faceta do terror cientifico em voga naqueles tempos, os zumbis seriam mortos reanimados pela radiação de um satélite que teria retornado do planeta Vênus. O filme acompanha um grupo de pessoas que se abrigam em uma casa rural durante a crise e é repleto de critica social com destaque para o destino do protagonista, negro, líder e único sobrevivente do grupo original que morre de maneira estúpida remetendo a Martin Luther King e Malcom X.

Nos filmes seguintes o cineasta mantém o tom critico mas apontando em diferentes aspectos do capitalismo e da sociedade. Com os filmes de Romero os Zumbis ganharam outras características marcantes que talvez expliquem sua popularidade e apelo. Os zumbis de Romero são criaturas trôpegas, com nada mais que o instinto básico da fome e a tendência em formar grandes agrupamentos, de onde vem sua força em conseguir a carne dos vivos, subjugando as vitimas em número. Como é de se esperar tudo isso formam filmes tensos e claustrofóbicos de onde emerge o terror em meio a critica social.

Desde o primeiro filme estas características do zumbi popular se mantém quase inalteradas. Com a evolução do conhecimento e desmistificação da radioatividade os zumbis tornaram-se fruto de infecções virais e recentemente a modalidade dos zumbis rápidos foi acrescentada a filmografia do gênero (estes filmes costumam apostar mais na ação em detrimento da critica social - que sempre parece estar presente de uma maneira ou de outra). O número de produtos derivados da zumbimania também aumentou gerando uma grande gama de livros como Guerra Mundial Z, Orgulho e Preconceito e Zumbis (que acabou gerando a curta tendência dos Mashups Literários).

A popularidade do tema é tanta que o CDC (Centers for Disease Control and Prevention - Centros para controle e Prevenção Doenças), uma agência do Departamento de Saúde e Serviços Humanos do governo dos Estados Unidos que trabalha na promoção da saúde através da informação, prevenção de doenças e outras ferramentas lançou recentemente uma campanha chamada Preparedness 101: Zombie Apocalypse. A idéia é - "Se você está preparado para um apocalipse Zumbi, você está preparado para tudo." - uma maneira bem humorada de divulgar ações para o caso de uma catástrofe natural.”
Artigo Completo, ::Aqui::
Enviar Google Plus

About Antonio Ferreira Nogueira Jr.

Contato- nogueirajr@folha.com.br
Revista- WMB

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: