Um Twitter só para escritores

Marcelo Spalding, Digestivo Cultural

“Vou confessar uma coisa: morro de inveja do IMDB, o enorme catálogo on-line com informações sobre todos os filmes possíveis e impossíveis. O funcionamento é simples e o cruzamento de dados, completo: acessando Tom Hanks você pode clicar em Philadelphia e lá vai lembrar que Denzel Washington estava no elenco, e saber que um, ano antes, em 1992, Denzel esteve em Malcolm X, junto com Angela Bassett, que não me lembra filme algum mas é muito bonita.

Bem, agora imagine um grande catálogo de livros, com todos os títulos do mundo, organizados por título, autor, sinopse, ano de publicação, língua original, traduções... O sistema já teria até nome: Biblioteca de Babel, em homenagem a Borges. E ele, sim, teria informação sobre todos os livros; acessando Stern chegaríamos em Machado, e dele em Eça de Queirós, e de Eça em Saramago, e as teias que formam qualquer arte ficariam ali, escancaradas para o deleite dos leitores e aprendizes.

Outro sistema que invejo um pouco, menos que o IMDB mas o bastante para querer tempo e dinheiro para inventar algo semelhante voltado para a literatura, é o MySpace. Imagine um MyBooks? Mas nele não poderiam estar só os chatos que usam a internet como gaveta e abarrotam nossa grande rede, era preciso que os grandes escritores vivos aderissem ao MyBooks, que seria agregado a uma espécie de Twitter literário, e lá os autores postariam as novidades dos seus trabalhos, avisariam sobre eventos dos quais participariam, e por aí vai.

Como sonhar não custa, já fico imaginando quem eu seguiria, quais os 10 escritores vivos que eu não deixaria de seguir. Vejamos:

Jose Saramago: não é só para posar de intelectual que começo pelo Nobel, mestre de nossa língua e ofício, dono de obra vasta e complexa, reconhecido pelo mundo, amado pelos brasileiros e renegado em Portugal. Saramago coloca qualquer leitor no seu lugar, lembrando-nos do quão difícil é fazer boa literatura e mesmo acompanhar boa literatura. Por isso, tenho uma meta de ler um Saramago por ano; por isso e também para ler Saramago ainda por muito tempo. Até agora, O Evangelho Segundo Jesus Cristo é o que mais me marcou.

Gonçalo M. Tavares: já que estamos na terrinha, este poeta, contista, romancista e obstinado escritor merece ser seguido. O mais recente romance que li dele, Jerusalém, além de super premiado está em lugar de destaque na minha estante. Sem contar a belíssima série de minihistórias de seu O Bairro, como O Senhor Valéry e O Senhor Henri. Um caso raro de escritor que une inventividade com densidade.”
Artigo Completo, ::Aqui::

Enviar Google Plus

About Antonio Ferreira Nogueira Jr.

Contato- nogueirajr@folha.com.br
Revista- WMB

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: