Olá

O Blog mudou de nome, endereço e roupa! Espero que gostem…

O link para o novo: www.alanterna.com ou A Lanterna

Fiquem firmes. Abraços

15 janeiro, 2016

Ninguém tem nada a ver com o peito de Manuela D’Ávila

Deixem Manuela em paz
Nathali Macedo, DCM

Nesta semana Manuela D’Ávila publicou um desabafo sobre a repercussão negativa de uma foto em que aparece amamentando sua filha. Os comentários me enojaram.

Mas, antes disso, me fizeram duvidar que, em pleno Século XXI, ainda precisemos lidar com gente que sexualiza a amamentação.

Houve quem julgasse a ‘exposição’ das mamas desnecessária.

Ainda que esquecêssemos, em primeiro plano, a ternura imbutida no ato de amamentar – e o absurdo que é buscar sexualizá-lo – nos restaria este argumento simples e persistente, embora ininteligível para alguns: nossas mamas são um problema nosso. Seja para amamentar nossos filhos, amenizar nosso calor ou saudar a nossa liberdade.

Não importa se você é uma deputada, uma modelo, uma ativista, uma mãe: nossos peitos não dizem respeito a ninguém além de nós mesmas.

14 janeiro, 2016

Por que você ainda vai tomar 'água da privada'

Ideia é ir além da água da privada e renovar toda a água que escorre pelos ralos
"O nome assusta e é pouco fiel à realidade de uma iniciativa que já está sendo adotada em algumas partes do mundo. O "toilet-to-tap" (ou "da privada para a torneira", em tradução literal) é uma técnica que reutiliza, para o consumo interno e externo, toda a água que escorre pelos ralos (inclusive a da descarga das privadas).

Da BBC Brasil 

Se a ideia parece, literalmente, dura de engolir, é bom saber que técnica envolve a filtragem e o tratamento da água "suja", deixando-a tão pura como a água de uma nascente – talvez ainda mais. Alguns bons exemplos disso vêm da Austrália.

A água residual reciclada é segura para o consumo e tem o mesmo gosto que qualquer outra água potável. "Na realidade, podemos dizer que esse tipo de água é até relativamente doce", afirma Anas Ghadouani, engenheiro ambiental na Universidade Western Australia.

Estimuladas por problemas causados pelo aumento populacional e por secas intensas semelhantes às enfrentadas pelo Brasil recentemente, muitas cidades do mundo já estão incorporando água residual reciclada no abastecimento para o consumo.

Manuela D’Ávila desabafa sobre foto em que aparece amamentando


Do DCM

A Deputada Estadual Manuela D’Ávila (PCdoB – RS) postou em sua página no Facebook nesta quarta (13), um desabafo sobre uma foto em que ela aparece amamentando Laura, sua filha.

A foto foi publicada em uma conta do Instagram criada por Manuela para compartilhar suas opiniões, impressões e sensações sobre a maternidade.

Em um dos posts, a deputada aparece amamentando Laura. O blog Maternar de Folha de S. Paulo fez uma matéria com a deputada, sobre a vacina de 4 meses, ilustrada com a imagem.

Manuela foi alvo de comentários sugerindo, por exemplo, que a deputada não deveria “expor a mama” e que seria um “péssimo exemplo” levar o bebê para sua cama.

Confira o post de Manuela no Facebook:

Do sul21:

Quando aprovamos a Lei que permite amamentar em qualquer lugar alguns disseram ser bobagem. Taí a expressão da necessidade de mudarmos radicalmente os conceitos de muitos! Mulher em propaganda de cerveja não indigna o João, não é?

11 janeiro, 2016

Bowie encenou a própria morte e enganou o mundo direitinho

Kiko Nogueira, DCM

.. ATENÇÃO: ESTE ARTIGO NÃO CONTÉM AS PALAVRAS “CAMALEÃO” ou “CAMALEÔNICO”

Nada como más notícias para tirar alguém das férias. Logo pela manhã, um amigo escrevia um post em algum lugar dizendo que a Terra fica vazia sem um alienígena como Bowie.

Bowie morreu? Espera um pouco.

Grandes artistas têm esse estranho dom da proximidade, da empatia imediata, de entrar na sua casa, na sua alma e falar para você o que você não ousa falar. É hora de ouvir todos os lados Bs, aqueles que você desdenhou por não trazerem “nada de novo” (“o melhor do cara ficou nos anos 70” etc etc.)

10 janeiro, 2016

‘A empregada tem carro e anda de avião. E eu estudei pra quê?’

A empregada tem carro e anda de avião. E eu estudei pra quê?
Se você, a exemplo dos professores que debocharam de passageiro “mal-vestido” no aeroporto, já se fez esta pergunta, parabéns: você não aprendeu nada

Matheus Pichonelli, Pensador Anômino

O condômino é, antes de tudo, um especialista no tempo. Quando se encontra com seus pares, desanda a falar do calor, da seca, da chuva, do ano que passou voando e da semana que parece não ter fim. À primeira vista, é um sujeito civilizado e cordato em sua batalha contra os segundos insuportáveis de uma viagem sem assunto no elevador. Mas tente levantar qualquer questão que não seja a temperatura e você entende o que moveu todas as guerras de todas as sociedades em todos os períodos históricos. Experimente. Reúna dois ou mais condôminos diante de uma mesma questão e faça o teste. Pode ser sobre um vazamento. Uma goteira. Uma reforma inesperada. Uma festa. E sua reunião de condomínio será a prova de que a humanidade não deu certo.

09 janeiro, 2016

A Globo acha bonito romantizar estupro?

Sem noção: repulsa nas redes sociais
Nathali Macedo, DCM

Eis a verdade que talvez doa (muito) em quem cresceu ouvindo a voz irritante de Faustão aos domingos: A globo erra mesmo quando tenta acertar – se é que tenta.

Pelas notícias – cada vez mais esdrúxulas – nas timelines da vida, tenho notado, há algum tempo, um latente desespero da emissora. Outro dia, lésbicas se beijaram no horário nobre, sob os reclames da intragável família tradicional brasileira: “Como vou explicar isso aos meus filhos?”

Vez ou outra, eles tentam nos comprar: Uma cena gay aqui, uma tentativa de abordagem do racismo ali – e sempre fazem besteira (vide a abordagem bizarra do HIV na Malhação ou a intragável novela – ou minissérie, confesso que não sei bem – Sexo & as negas).

08 janeiro, 2016

“A concepção de Deus é indigna de um homem livre”

Os anjos de Rafael
Camila Nogueira, DCM

Em 1927, Bertrand Russell escreveu um ensaio chamado “Por que não sou cristão”, do qual extraímos as passagens abaixo para a nossa série Conversas com Escritores Mortos.

Mr. Russell, o que define um cristão?

Existem dois itens que são essenciais para que uma pessoa se autointitule cristã. O primeiro é de natureza dogmática – isto é, você deve acreditar em Deus e na imortalidade.

Ambas as coisas são necessárias?

Se você não acredita em Deus nem na imortalidade, não acho que possa ser considerado um cristão. O segundo item como o próprio nome sugere, é ainda mais importante: um cristão deve ter algum tipo de crença sobre Jesus Cristo.

07 janeiro, 2016

Os 55 melhores tweets de 2015

Ricardo Silva, Revista Bula

Imagine o seguinte cenário: de todas as redes, você teria que escolher apenas uma, porque todas as outras seriam deletadas para sempre. Qual você escolheria? De pronto já sabemos que a resposta majoritária seria o Twitter. Por que tanta certeza? Simples: porque a rede de 140 caracteres é, de longe, a melhor rede social. De política aos últimos acontecimentos de qualquer programa de televisão, os comentadores do Twitter não deixam escapar nenhum detalhe. Nada passa batido. São milhões de publicações diárias, muitas irrelevantes, outras monumentais. E foram 55 pérolas desse ano que a Revista Bula selecionou. Tem de tudo. Só não podemos garantir que tudo é original, pois nossa seleção é resultado de pesquisa junto às publicações que mais reverberaram e tiveram vasto alcance. Afinal, em terra de kibe, quem cria é rei. A ordem não é de importância, mas cobre o ano inteiro e os principais assuntos que foram tema na rede. Confira a seleção dos 55 melhores tweets de 2015."
Matéria Completa, ::AQUI::

06 janeiro, 2016

Não aceite o que não faz sentido. Mude, mas faça do seu jeito

Rebeca Bedone, Revista Bula

É uma sensação de esgotamento. Há desigualdade social e crise econômica por todos os cantos. Intolerância religiosa e extremismo político perto ou distante. Doenças e desastres ambientais chegam sem aviso prévio. Em meio a tudo isso, a cada ano que passa, parece que diminuem as horas dos dias. Vivemos sufocados-apressados-fadigados enquanto é doloroso não saber ao certo o que significa viver.

Também chega um momento na vida em que fica insuportável ser uma pessoa infalível. E, mesmo sendo virtuoso o ser humano que se doa sem querer algo em troca, em determinadas situações, não é egoísmo quando se decide dar ao outro somente o que ele merece receber de você. Tem gente que só sabe pedir e cobrar, mas não doa o seu tempo, a sua disposição e nem a sua paciência.

31 dezembro, 2015

55 pequenas coisas que podem mudar sua vida para melhor em 2016

Edival Lourenço, Revista Bula

A organização do tempo em calendário é coisa de sábio. É uma forma de organizar a vida naturalmente. Aproveitar a virada do calendário e dar um upgrade em suas atitudes e ações é também uma atitude sábia. Como diz o senso comum (e o senso comum muitas vezes tem razão): “se você continuar fazendo as mesmas coisas, o máximo que vai conseguir são os mesmos resultados”. Por isso é preciso cortar algumas coisas e acrescentar outras em sua rotina para obter um resultado diferente. Listamos abaixo, de forma aleatória, 55 atitudes e ações para você em 2016. Aqui você pode escolher ou mesmo inspirar para a montagem de suas intenções de melhoria para o ano que vem. Se não lhe servir na prática, esperamos que pelo menos se divirta:

1 — Provar na prática que em época de crises é que surgem as grandes oportunidades;
.
2 — Convencer-se de que todo problema traz consigo uma ou mais soluções;
 .
3 — Trocar o emprego chinfrim por um promissor;
 .
4 — Iniciar um empreendimento em plena crise, porque quando os concorrentes acordarem, você já estará bem longe;
 .
5 — Fazer o negócio da vida, sem que para isso tenha que vender um rim, uma córnea, um bago ou a metade do fígado;
 .
6 — Dar o primeiro passo com naturalidade, sem preguiça, nem sofrimentos;
 .
7 — Superar um trauma, ou melhor: superar todos os traumas;

29 dezembro, 2015

Uma lição de dignidade a tanta gente que a perdeu

De Moisés Mendes, no Zero Hora de hoje:

A personagem do ano é a mulher que sai de casa arrastando chinelos e se dirige a uma repartição do município para dizer:

— Vim aqui devolver o cartão do Bolsa Família.

A cena repetiu-se durante todo o 2015 em prefeituras do sertão nordestino ou daqui mesmo, de Canguçu, de Rosário, de Cacequi. A mãe aprochega-se do balcão para anunciar uma decisão importante. Enfia a mão na bolsa em busca do cartão e puxa aquilo que é provisório em meio a outras coisas muito permanentes. E a moça do guichê pergunta:

— A senhora pode me dizer por que está devolvendo o cartão?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Veja!