25 março, 2015

Porque a vida sem sonho é o pior pesadelo


André J. Gomes, Revista Bula

"Prepara-te. A qualquer instante, quando menos esperares, alguém fará pouco de teus sonhos. Virá de um canto insuspeitado, do seio de tua família, do campo de teus amigos, da multidão de teus estranhos e fará coro com um bando descrente, rasteiro, numeroso e empenhado em manter a rasa normalidade das coisas.

Juntos, rirão de tuas ambições e teus desejos e intenções essenciais. Tentarão diligentes, aplicarão forças com empenho em seu intento brutal. Como quem laça nas ruas o pescoço de cachorros sem dono e os lança em jaulas frias de ferro e sangue, caçarão teus sonhos mais fundos até arrancá-los de tua alma.

23 março, 2015

Por que o beijo gay entre Fernanda Montenegro e Nathália Timberg chocou mais?

Atrizes protagonizam beijo gay em novela global. Sugestão de exibir o beijo no primeiro capítulo da novela foi da própria Fernanda Montenegro (reprodução)

“Nojo”, “credo”, “agora o mundo acabou”. O beijo lésbico protagonizado pelas atrizes Fernanda Montenegro e Nathália Timberg chocou mais - principalmente os homens - do que outros exibidos anteriormente. O agravante é que, desta vez, além de gay, é um beijo de terceira idade


O que realmente chocou grande parte da população, principalmente homens, com o beijo na boca das personagens de Fernanda Montenegro e Nathália Timberg na nova novela da TV Globo?

A cena do folhetim foi o assunto mais comentado das redes sociais e da mídia em geral no Brasil no dia seguinte à sua exibição.

O que chamou a atenção em mais uma polêmica envolvendo a exibição de demonstrações de afeto por parte de pessoas do mesmo sexo foi, dessa vez, o grau de agressividade nos comentários. Bem maior do que os dos beijos lésbicos de suas antecessoras.

22 março, 2015

Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe

 Karen Curi, Revista Bula

"Como é possível viver sem estar vivo? Manter-se de rancor sem um pingo de ternura e alegria? Tem pessoas que sobrevivem em um mar de lamúria, que transformam a vida em uma perda de tempo e faz de cada segundo uma obrigação de existir. Gente que parece ter ingerido um veneno em dose insuficiente para matar de uma só vez, então se arrasta, se contorce. E não adianta lhes falar de amor ou do dia lindo que está lá fora… Nada, absolutamente nada é capaz de arrancar a nuvem de tempestade sobre as suas cabeças.

Às vezes eles até espiam o colorido através das suas frestas, mas o cansaço de respirar e o desânimo por existir são maiores do que qualquer sopro de vida que alguém possa lhes oferecer gratuitamente.

20 março, 2015

Quando o Google encontrou o WikiLeaks

Antonio Ateu, GGN  / Blog da Boitempo


"O que está por trás do Google e do sistema operacional Android, tão presentes em nossa vida? Quais os interesses das ferramentas de livre acesso da internet e das tecnologias de comunicação? A quem pertencem as informações geradas por cada passo que damos na era tecnológica?

Em junho de 2011, Julian Assange recebeu a visita inesperada do presidente do Google, Eric Schmidt, na casa de campo onde residia sob prisão domiciliar, em Norfolk, na Inglaterra. Durante horas, o líder sitiado da organização editorial insurgente mais famosa do mundo travou um embate de ideias com o bilionário responsável pelo maior império da informação que já existiu, em uma discussão voltada para os problemas políticos enfrentados pela sociedade e as soluções tecnológicas criadas pela rede global – da Primavera Árabe ao Bitcoin.

Os dois representam perspectivas radicalmente opostas: para Assange, o poder libertador da internet baseia-se em sua natureza livre e sua falta de vínculos com países, enquanto para Schmidt a emancipação está em harmonia com os objetivos da política externa dos Estados Unidos, motivada pelo estabelecimento de comunicações entre países não ocidentais e empresas e mercados norte-americanos. Pontos de vista distintos em um cabo de guerra acirrado sobre o futuro da internet.

19 março, 2015

Se você não escolhe a sua vida, alguém escolhe por você


Karen Curi, Revista Bula

Lembra daquele jogo de tabuleiro que avançávamos tantas casas, depois voltávamos ao princípio, ficávamos ricos e, logo em seguida, pobres? A vida funciona mais ou menos assim. Os problemas surgem e a existência nos cobra uma decisão. Cabe a nós escolhermos as saídas, optar por ter filho ou comprar uma bicicleta, decidir pela fortuna ou pela família. Tem gente que possui o dom de ganhar mais do que perder. Talvez nem seja dom, e sim algum motivo de sorte ou sabedoria, dedicação, quem sabe, destino.

Eu sei que um dia, entre a cruz e a espada, somos pegos pela dúvida de qual caminho seguir; o que nós queremos ou o que os outros nos impõem? A resposta é: se você não escolhe, alguém escolhe por você. Simples assim. É desse jeito que a dinâmica funciona. Ou você é um jogador ou é um expectador da própria vida.

17 março, 2015

Qual o segredo do sucesso de ‘A Noviça Rebelde’?

Lady Gaga cantou um medley de 'A Noviça Rebelde' no último Oscar
"Esqueça as cuecas do ator Neil Patrick Harris e o discurso politizado da atriz Patricia Arquette: a grande atração do Oscar deste ano foi Lady Gaga cantando um medley em homenagem aos 50 anos do lançamento de A Noviça Rebelde.



Quem imaginaria a artista pop que um dia causou furor ao usar um vestido feito de carne crua metida em um longo branco e entoando as canções do filme com voz de fada? A apresentação foi não só um testemunho da capacidade de Lady Gaga de se reinventar como também uma demonstração de que o filme resiste à passagem do tempo.

Os acontecimentos que inspiraram A Noviça Rebelde ocorreram na Áustria entre os anos 20 e 30. O autobiografia de Maria von Trapp, relatando esses eventos, foi publicada em 1949 e foi transformada em musical na Broadway dez anos depois, por Richard Rodgers e Oscar Hammerstein. Aí veio o filme.
A estreia, em 1965, foi seguida por uma vitória arrebatadora no Oscar. E o LP com a trilha sonora foi o mais vendido em alguns países não só naquele ano, mas também nos anos seguintes.

15 março, 2015

Elogio do imobilismo


Fred Navarro, Revista Bula 

"Somos o mais filosófico dentre as centenas de povos do planeta. Poucos apreciam perder o tempo que desperdiçamos em meio a contradições intermináveis. Adoramos confundir lerdeza intelectual com sabedoria, e o infinito com o indefinido. Em consequência, adiamos a realização do possível, sem prazo de validade. Somos — quem sabe? — mais pacientes que japoneses, chineses, tibetanos, vietnamitas, tailandeses e demais povos orientais, juntos. Somos mais filosóficos que alemães, franceses, ingleses, austríacos e dinamarqueses. Precisamos de tempo e de sossego para pensar e adiar as decisões necessárias. Não gostamos de nos mexer, a não ser o inevitável, se possível apenas o mindinho. Os entendidos sabem que a linguagem revela muito da alma de um povo. Nós, por exemplo, temos o hábito da siesta tão arraigado que inventamos dez palavras para ele: cochilo, descanso, repouso, soninho, soneca, pestana, modorra, madorna, quietação e sonata.

Um povo que ama com sincera honestidade a posição horizontal, eis aí o povo brasileiro, sem disfarces. Não somos a quinta população mais numerosa do mundo por acaso: o rala-rala, o xenhenhém, o agarrado e o chaveco dependem de camas e chãos para se materializarem em futuros bebês. Por esse motivo, obviamente, não poderíamos deixar de incluir no hino nacional, lá pelas tantas, o verso “Deitado eternamente em berço esplêndido, / ao som do mar e à luz do céu profundo, / fulguras, ó Brasil, florão da América / iluminado ao sol do novo mundo.” Sem contar esse ‘fulguras’ (brilho intenso) que ninguém normal usa sob o risco de passar por ridículo (ocorre o mesmo com o tal ‘presidenta’), o resto, como poesia, é puro lixo parnasiano reciclado.

14 março, 2015

O que significa ‘Status Orgasmus’ e outras 26 curiosidades sexuais


Fabio Hernandez, DCM

"Zanzando pelo twitter, descobri o FreakFact. FatoBizarro, ou coisa assim. O nome se explica em si mesmo. Curiosidades. Mas o que realmente me atraiu foi o foco e o tom. O foco é sexo, e o tom é bem humorado, divertido, irreverente, como, aliás, o sexo deve ser.

Virei seguidor na hora.

Selecionei, para você, um punhado de coisas que vi.

1) Há um preservativo ultrapequeno chamado Hot Shot. Ele foi projetado para garotos de 11 a 14 anos.

2) Urofilia é o nome técnico da Chuva Dourada, que é apenas o velho ato de pessoas ficarem mijando umas nas outras.

3) Após o primeiro encontro, os casais esperam em média sete dias para fazer sexo.

12 março, 2015

Mapas Para as Estrelas é um filme imperdível sobre fama e família


Daniela Pacheco, Cinema de Buteco  

'Quando assisti The Bling Ring em 2013, adorei como Sofia Coppola fez uma crítica à sociedade consumista e a falta de limites de jovens no mundo atual, mais especificamente nos Estados Unidos (baseado em fatos reais). Agora, chegou a vez da David Cronenberg fazer algo parecido em relação à Terra do Tio Sam, ao fazer uma sátira a Hollywood em Mapas Para as Estrelas (Maps to the Stars, 2014). Ousado e chocante, com deliciosos toques de humor e performances geniais de Julianne Moore e Mia Wasikowska, trata-se de um filme imperdível sobre fama e família.

Assim que os créditos começaram a rodar, fiquei alguns segundos na cadeira tentando me recuperar do que havia visto nas últimas duas horas. No caminho pra casa, continuei absorvendo, depois do almoço e cá estou eu escrevendo esta crítica no fim do dia. Conheço Cronenberg de outros longas e gostei de como ele adotou Robert Pattinson e Sarah Gadon em seus últimos trabalhos, dando-lhes papéis interessantes, os quais lhes dão a capacidade de mostrar o quão bons podem ser se bem dirigidos e nos papéis certos. Ambos estão coadjuvantes aqui e não deixam de fazer um bom trabalho, mas o que mais me impressionou na produção foram as atuações magníficas de Moore e Wasikowska.

10 março, 2015

Deseja profundamente. Vontade rasa não realiza nada


André J. Gomes, Revista Bula

"Tu sabes. Tu sabes tanto que até te cansas de saber. Reclamar é inútil. Quanto mais tu lamentas, mais tu te afundas. Contestar é atirar longe o tempo precioso que te resta. Deixa de senões. Abandona tuas queixas e vai em frente. Se tu queres muito, tu fazes mais.

Querer pouco é nada senão uma afronta ao que desejas realizar. Quem quer mesmo, quer muito. Almeja em vontade profunda. O objeto de teus quereres há de se ofender de morte com desejos irrisórios e te dar as costas em partida. Se tu queres, queira em extraordinária abundância.

Há aqueles que perdem tempo desejando pessoas como nacos de carne num açougue fétido. Tal e qual um verme que se arrasta no chão frio de um banheiro úmido, esses detêm os mais rasteiros interesses, ridículos pedintes equivocados em sua sanha de possuir o outro. A eles aguarda ansioso o vasto e eterno limbo da burrice.

09 março, 2015

Britânica descobre clone online com vida fictícia criada a partir de suas fotos

Ruth Palmer teve sua identidade roubada por outra pessoa na internet
"Conheça Leah Palmer, uma bela jovem britânica de pouco mais de 20 anos que vive em Dubai.



Ela tem um perfil bastante ativo em redes sociais. Com frequência, conversa com parentes e amigos por meio de sites como Facebook, Instagram e Twitter, e até mesmo busca namorados pelo aplicativo Tinder.

Mas, na verdade, Leah Palmer não existe.

A mulher na foto acima é Ruth Palmer. Ela descobriu recentemente que, por três anos, alguém vinha roubando fotografias suas, de parentes e de amigos em redes sociais para criar perfis falsos, que se comunicam entre si.

Veja!