São Paulo de asfalto e gente

"São Paulo cobriu-se inteira de asfalto e gente, sem deixar lugar também para a terra, a água, a vegetação, os espaços de vivência pública", critica Amália Safatle

Amália Safatle, Terra Magazine

“Por mais que seja conhecida a última pesquisa realizada pelo Movimento Nossa São Paulo, os resultados são tão estarrecedores, que fica difícil elaborar esse texto no dia em a cidade completou 456 anos (ontem) e não voltar a eles. Além do que, o lugar onde a gente mora nada mais é que nosso hábitat, nosso meio ambiente - não por acaso juntamos palavras para unir a cultura à natureza, como selva de pedra, fauna urbana, capitalismo selvagem.

Trocando em miúdos a pesquisa Indicadores de Referência de Bem-Estar do Município (Irbem), a conclusão é que vamos mal.

Levamos mais de quatro séculos para construir uma cidade em que mais da metade de sua imensa população desejasse, simplesmente, deixá-la (57% dos 1.512 entrevistados sairia de São Paulo, se pudesse). Que fosse reprovada com nota vermelha de 4,8 ( índice de satisfação com a cidade em termos de qualidade de vida, numa escala de 0 a 10). Que levasse o cidadão a gastar, em média, 2 horas e 40 minutos de seu dia no trânsito. Em que as pessoas reconhecessem a rica oferta de bens culturais da cidade, mas não conseguissem usufruir deles.”
Ivan Pacheco, Terra
Artigo Completo, ::Aqui::
Enviar Google Plus

About Antonio Ferreira Nogueira Jr.

Contato- nogueirajr@folha.com.br
Revista- WMB

    Blogger Comment
    Facebook Comment

1 comentários:

Provos Brasil disse...

Ótimo blog!

Acho que se continuar a chover São Paulo desaparecerá definitivamente!

Salut

Provos Brasil