Podrão, o meu cachorro, viu o Jornal e teve um ataque de nervos

Ricardo Giuliani Neto, Última Instância

“Desta vez passo-lhe a faca. Ah! sim, de vez, corto-lhe os hormônios. Confesso, o bicho é realmente proporcional: o que tem de carinhoso tem de impertinente. Agora chegou ao ponto de fazer sexo com o solo e, dia desses, de manhãzinha, num ataque de fúria, espatifou o jornal. A coisa tá ficando feia!

Já lhes contei uma das histórias do Podrão. Na verdade, podrão é alcunha, o nome verdadeiro é Habeas Corpus Bartolomeu. Errei, é Bartholomeu, como podem ver, com “th”. É basset tricolor, branco, preto e marrom, um paradigma estético, e, quiçá, ético. Mas é histérico e incontrolável. O Podrão é aquele que precisa de um analisterinário, lembram-se? Sim, ele tem complexo de galo, começa a latir exatamente às 6 da madrugada. Isso, seis da matina e lá está a corneta rouca a romper os ouvidos do bairro. Uma graça de animal! Sério! não fosse isso, o resto, tirando o sexo solo e o ataque de fúria, não haveria reparos.

O Podrão pratica dois esportes: enche o saco do Processo, o meu bulldog campeiro, e pressente manchetes do jornal. Rapaz!? Quando a manchete vem do mundo jurídico, não queiram saber – pode ser porque sou advogado – o mundo cai.

Os jornaleiros aqui de casa – como imagino, os de todas as casas – praticam detonação de jardins à distância. Isso, a precisão é tanta que as plantas, especialmente as flores, nem bem recuperaram-se da paulada anterior, e tome jornal nas fuças.

Mas como dizia, o Podrão adora torrar o Processo e atordoar o mundo. Dia desses, exatamente quando o Conselho Nacional de Justiça condenou dois Magistrados Federais à aposentação compulsória, com R$ 25 mil reais garantidos até o fim da vida, o Podrão silenciou. Naquele dia não houve cantorias pela manhã e o solo da minha casa permaneceu virgem. O Podrão, desalentado, parecia saber do acontecido e, perambulando pra lá e pra cá, terminou por deixar o Processo em depressão; Processo é o meu bulldog campeiro, o alvo dos latidos roucos do Podrão.”
Artigo Completo, ::Aqui::
Enviar Google Plus

About Antonio Ferreira Nogueira Jr.

Contato- nogueirajr@folha.com.br
Revista- WMB

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: