O operário que cruzou os braços diante de Hitler



Euler de França Belém, Revista Bula

“Não é fácil resistir ao poderio de uma ditadura popular... como a nazista. Pois um trabalhador solitário, August Landmesserm, decidiu desafiar o totalitarismo do regime de Adolf Hitler. Em 1936, em Hamburgo, numa solenidade, enquanto todos saudaram o Führer, Landmesserm cruzou os braços.

A fotografia mostra todos ovacionando Hitler, com a tradicional saudação com o braço direito levantado, mas, exibindo com muita coragem sua objeção de consciência, Landmesserm permanece impassível, com os braços cruzados. O jornal espanhol “ABC” diz que se trata de uma das imagens mais famosas da história bélica.

A história de Landmesserm é curiosa. Em 1931, filiou-se ao Partido Nacional-Socialista Operário Alemão, “com a esperança de encontrar um emprego” (os nazistas chegaram ao poder em 1933, e legalmente). Mesmo assim, assinala o jornal, o operário não comungava das ideias nazistas.

Landmesserm “desafiou a famosa lei Rassenschande (‘desonra da raça’)” e casou-se e teve filhos “com uma mulher de origem judia”. Em 1938, e não, portanto, por causa da fotografia, o trabalhador foi preso pela Gestapo. Cometera um crime “grave”, do ponto de vista do nazismo, ao se unir com uma judia. A fotografia foi identificada por uma das filhas de Landmesserm, em 1991, num jornal alemão.”
Enviar Google Plus

About Antonio Ferreira Nogueira Jr.

Contato- nogueirajr@folha.com.br
Revista- WMB

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: