Críticas a Higienópolis provocam onda de ofensas a judeus

Dayanne Sousa, Terra Magazine

“Comentários de cunho ofensivo contra judeus se propagaram na internet depois de noticiado que o governo de São Paulo mudou o plano do metrô e não construiria mais uma estação no bairro de Higienópolis.

A região da Zona Oeste de São Paulo é conhecida por ter muitos moradores judeus. Já há dois dias, a polêmica do metrô virou um dos assuntos mais comentados no Twitter. Desde quarta-feira, dezenas de tweets ligando o fato de forma ofensiva a judeus ou ao holocausto já foram publicados.

Em meio a sátiras, os comentários preconceituosos. "O nome é Higienópolis, mas o correto seria forno de cremação, já que lá é lotado de Judeus", escreveu o perfil @ateucristao, que se identifica como Milton Fernandes.

Em seguida, publicou: "Qual a diferença entre uma pizza e um judeu? A pizza não grita quando vai para o forno". Depois que outros internautas o ameaçaram denunciar para a polícia, o homem insistiu que se tratava de uma brincadeira. A Polícia Federal recebe denúncias anônimas de crimes de ódio em seu site denuncia.pf.gov.br

A mudança nos planos de construir a estação no bairro de classe alta ocorreu depois de pressões da Associação Defenda Higienópolis Os moradores temiam o crescimento de "ocorrências indesejáveis" - ou seja, da violência.

O humorista Danilo Gentili foi um dos primeiros a provocar reações de seguidores ao escrever: "Entendo os velhos de Higienópolis temerem o metrô. A última vez que chegaram perto de um vagão, foram parar em Auschwitz".

Outros perfis na rede também tem sido questionados por comentários. Em resposta ao @ateucristao, Carlos Santos escreveu: "Gosto dos judeus como gosto da minha água. Com gás". "Por isso eu não gosto de judeus", completou outro. "Hitler estava certo em tirar o dinheiro desse povo judeu", acrescentou Mika Sampaio.”
Enviar Google Plus

About Antonio Ferreira Nogueira Jr.

Contato- nogueirajr@folha.com.br
Revista- WMB

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: