Gentileza gera gentileza

Não é fácil ser solidário e gentil quando as contas não estão em dia

Cássia D’Aquino, Mulheres em Ação

O dinheiro tem o poder de influenciar nossos planos e emoções. De fato, é mesmo improvável que alguém endividado até o pescoço, atolado em cheques especiais impagáveis ou faturas de cartão superlativas, encontre tempo, disposição e energia para pensar em algo que não seja o dinheiro (ou a falta dele). Não há dúvida que é muito mais fácil ser ético, solidário e gentil quando as contas estão em dia e o futuro assegurado por bom planos de investimento.

Mas há gente, no entanto, que, mesmo tendo grana, exagera na dose e dá ao assunto mais atenção e trela do que ele merece. Sem nem ter a desculpa de ser profissional da área (!) vive só de pensar e falar sobre dinheiro. Gente assim é chata, sem assunto nem charme e, pior, quase sempre atropela os sentimentos e ouvidos dos outros.

Num e noutro caso - no excesso ou escassez de atenção ao dinheiro- a indelicadeza de sentimentos resulta na ausência de gentileza com o próximo. E, assim, o mundo vai ficando cada vez mais árido, mais tenso e cada vez menos cordial.”
Artigo Completo, ::Aqui::
Enviar Google Plus

About Antonio Ferreira Nogueira Jr.

Contato- nogueirajr@folha.com.br
Revista- WMB

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: