O circo erudito de Deborah Colker

Dois anos após dirigir o Cirque du Soleil, coreógrafa carioca lança o seu 18º espetáculo, “Tatyana”, inspirado na literatura e na música russas. Assista aos vídeos


A coreógrafa brasileira Deborah Colker comemora o 18º ano de sua companhia de dança com um resgate da arte erudita em um projeto ambicioso. Seu novo espetáculo é uma adaptação do clássico russo Evguêni Oniéguin, do escritor Aleksandr Púchkin (1799-1837), recentemente traduzido e relançado no País. E a trilha sonora é composta de peças de compositores como Serguei Rachmaninov, Piotr Ilitch Tchaikovsky e Igor Stravinsky. O show criado por Deborah e seus colaboradores foi batizado de Tatyana, nome da heroína da história, ao lado de Oniéguin, seu amante. Entre os desafios assumidos, o maior será seguir um roteiro, algo que Deborah nunca fez.
Pela primeira vez, a coreógrafa compõe um enredo contínuo, narrando uma mesma história. Cada protagonista é interpretado por quatro bailarinos. Deborah participa como o narrador Púchkin, interferindo nas cenas.  Para intermediar o encontro de Deborah com o poeta russo, a bailarina contou com a consultoria do jornalista Irineu Franco Perpétuo, um especialista em música erudita e responsável pela tradução de duas obras de Púchkin para o português, diretamente do russo. Em curtíssima temporada, o espetáculo fica em cartaz até o dia 18, antes de viajar pelo País e depois, pelo exterior. O romance se passa no século XIX e narra a história de amor entre os dois personagens.
Tatyana Dança. No Teatro Alfa - Rua Bento Branco de Andrade Filho, 722, São Paulo. Tel.: 5693-4000. 4ª, 5ª e sáb., às 21h; 6ª e dom., às 18h (dia 17 terá sessão extra às 17h). Ingr.: R$ 40 a R$ 100. Até dia 18.”










Enviar Google Plus

About Antonio Ferreira Nogueira Jr.

Contato- nogueirajr@folha.com.br
Revista- WMB

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: