Elesbão: escravo, enforcado, esquartejado

Jardel Dias Cavalcanti, Digestivo Cultural

"O assassinato é a forma extrema de censura". (George Bernard Shaw)

Na cidade de Campinas, no dia 9 de novembro de 1835, a população começou a chegar cedo ao Largo de Santa Cruz (praça XV de Novembro), que posteriormente ficou conhecida como o Largo da Forca, para assistir a uma das mais severas punições já cometidas contra um escravo: ali seria enforcado e esquartejado (tendo a cabeça degolada e as mãos decepadas) o escravo Elesbão.

O cenário para a pena de Elesbão havia sido preparado dias antes, constando do patíbulo onde o mesmo seria enforcado e de mais dois postes, com um ferrão na ponta, onde seriam espetadas as mãos. Para o esquartejamento, realizado ali mesmo ao pé da forca, foi providenciado um objeto cortante, comprado de um ferreiro da cidade, que seria provavelmente um facão, com grossura e tamanho suficientes para decepar a cabeça e as mãos. Elesbão havia sido condenado por ter assassinado, no dia 20 de maio de 1831, o seu senhor, chamado Luiz José de Oliveira. À sentença de condenação de Elesbão, foi acrescentado pelo juiz os seguintes termos:

Adendo a sentença acima, declaro que depois do réu sofrer a pena de morte cortar-se-ão as mãos e a cabeça, esta será remetida para a Vila de Jundiaí, e ali colocada num poste em lugar público e aquela serão colocadas nesta Vila em um poste e também em lugar público.

A cabeça de Elesbão seria, então, enviada para Jundiaí com o objetivo claro de exemplaridade de punição a possíveis revoltosos e as mãos, também com objetivo semelhante, ficariam expostas em Campinas, presas aos postes ao lado da forca. Acabava ali a vida de um homem. No entanto, gritava e continua gritando o desejo da revolta.

Uma época que escraviza e mata seres humanos deve, antes de tudo, ser entendida. Mas, logo após, esta mesma época deve também ser julgada pelos crimes que cometeu.

Nós sabemos qual o peso político com o qual é tratado, dentro das reflexões historiográficas e fora delas, como no âmbito da política internacional, as questões acerca do práticas como a do Nazismo. Tribunais internacionais julgam o passado nazista com total empenho, buscando punir não só a história, mas todos os envolvidos, traçando linhas de entendimento e repudio as suas práticas racistas e criminosas à luz de uma ação política efetiva.

No entanto, no que diz respeito a uma parte fundamental de nossa história, que é a escravidão brasileira, esta é tratada com os panos quentes da objetividade da pesquisa histórica, anulando, dessa forma, uma intervenção política dentro e fora dos quadros historiográficos.

A despolitização nos dá a medida da idéia da desresponsabilidade generalizada no âmbito das ciências humanas (que parecem não precisar mais pensar e intervir no seu próprio tempo), que vêm perdendo seu papel de despertadoras e esclarecedoras da consciência coletiva. Contra esta esterilidade política devemos resgatar o papel histórico fundamental das ciências humanas que "foi o da crítica da ordem estabelecida, da denúncia dos privilégios abusivos e das dominações ilegítimas" (Hilton Japiassu).”
Artigo Completo, ::AQUI::
Enviar Google Plus

About Antonio Ferreira Nogueira Jr.

Contato- nogueirajr@folha.com.br
Revista- WMB

    Blogger Comment
    Facebook Comment

2 comentários:

Jama Libya disse...

1ª) Conspiração judaica tupiniquim contra os negros afro-brasileiros
O GLOBO ditadura Vandalista da comunicação, leviana ardilosa e racista inimiga do povo brasileiro. No Brasil os judeus monopolizam a TV discriminam e humilham as mulheres negras? A MeGaLOBO RACISMO? A violência do preconceito racial no Brasil personagem (Uma negra boçal degradada pedinte com imagem horrenda destorcida é a Adelaide http://globotv.zorra-total/v/adelaide-e-briti-pedem-dinheiro-no-metro/, do Programa Zorra Total, TV Globo do ator Rodrigo Sant’Anna? Ele para a Globo e aos judeus é engraçado, mas é desgraça para nós negros afros indígenas descendentes, se nossas crianças não tivessem sendo chamadas de Adelaidinha ou filha, neta e sobrinha da ADELAIDE no pior dos sentidos, é BULLIYING infeliz e cruel criado nos laboratórios racistas do PROJAC (abrev. de Projeto Jacarepaguá da Central Globo de Produção) da Rede Globo é dominado por judeus diretores, produtores e apresentadores ( OBS. além destes judeus e judias citados existem centenas de outros e mais de 200 atores, atrizes, comediantes, artistas e apresentadores judeus e judias e milhares de empregados e colaboradores da " Rede Globo Judaica Midiática Brasileira" )como Arnaldo Jabor, Carlos Sanderberg, Luciano Huck, Jairo Bouer, Alan Fiterman, Luis Erlanger, Marcos Losekann, Marcius Melhem e Leandro Hassum, Vladimir Brichta, Tiago Leifert, Pedro Bassan, Pedro Bial, Jitman Vibranovski, William Waack, William Bonner & Fátima Bernardes, Ernesto Paglial & Sandra Annenberg, Pedro Doria & Leila Sterenberg, Mateus Solano & Paula Braun, Yvonne Maggie, Mônica Waldvogel, Renata Malkes, Sandra Passarinho, Amora Mautner, Lillian W. Fibe, Esther Jablonski, Patrícia Taufer, Glenda Kozlowski Fernanda Grael, Leila Neubarth,Beatriz Thielmann,Gilberto Braga,Wolf Maya, Mauro Halfeld, Mário Cohen, Ricardo Waddington, Max Gehringer, Maurício Kubrusly, Mauro Molchansky, Maurício Sirotsky, Marcelo Rosenbaum, Michel Bercovitch, Fábio Steinberg, Carlos de Lannoy, Roberto Kovalick, Guilherme Weber, Régis Rösing, Caio Blinder, Daniel Filho, Gilberto Braga, Gilberto Leifert, Gilberto Dimenstein , Walcyr Carrasco, Carlos H. Schroder e o poderoso Ali Kamel diretor chefe responsável e autor do livro Best seller o manual segregador (A Bíblia do racismo,que irônico tem por titulo NÃO SOMOS RACISTA baseado e num monte de inverdades e teses racistas contra os negros afrodescendentes brasileiros) E por Maurício Sherman Nisenbaum (que Grande Otelo, Jamelão , Luis Carlos da Vila e Geraldo Filme chamavam o de racista porque este e o Judeu sionista racista Adolfo Block dono Manchete discriminavam os negros)responsável dirige o humorístico Zorra Total Foi dono da criação de programas e dos programas infantis apresentados por Xuxa(Luciano Szafir)e Angélica(Luciano Hulk) ambas tendo seus filhos com judeus,apresentadoras descobertas e lançadas por ele no seu pré-conceitos de padrão de beleza e qualidade da Manchete TV dominada por judeus sionistas,este BULLIYING NEGLIGENTE PERVERSO da Globo.

Jama Libya disse...

2º)Conspiração judaica tupiniquim contra os negros afro-brasileiros
O GLOBO BULLIYING NEGLIGENTE PERVERSO da Globo. Humilhante absurdo e desumano que nem ADOLF HITLER fez aos judeus, mas os judeus sionistas da TV GLOBO faz para a população negra afro-descendente brasileira isto ocorre em todo lugar do Brasil para nós não tem graça, esta desgraça de Humor racista criminoso, que humilha crianças é desumano para qualquer sexo, cor, raça, religião, nacionalidade etc. o pior de tudo esta degradação racista constrangedora cruel é patrocinada e apoiada por o S.R. Ali KAMEL fascista sionista (marido da judia Patrícia Kogut jornalista do GLOBO que liderou dezenas de judeus artistas intelectuais e empresários dos 113 nomes (Manifesto Contra as contra raciais) defendida pela radical advogada Procuradora judia Roberta Kaufmann do DEM e PSDB e o Senador Demóstenes Torres que foi cassado por corrupção) TV Globo esta mesma que fez anúncios constantes do programa (27ª C.E. arrecada mais de R$ 10, milhões reais de CENTARROS para esmola da farsa e iludir enganando escondendo a divida ao BNDES de mais de três bilhões dólares dinheiro publico do Brasil) que tem com o título ‘A Esperança é o que nos Move’, show da “Criança Esperança” de 2012 celebrará a formação da identidade brasileira a partir da mistura de diferentes etnias) e comete o Genocídio racista imoral contra a maior parte do povo brasileiro é lamentável que os judeus se divirtam com humor e debochem do verdadeiro holocausto afro-indigenas brasileiro o Judeu Sergio Groisman em seu Programa Altas Horas e assim no Programa Encontro com a judia Fátima Bernardes riem e se divertem. (A atriz judia Samantha Schmütz em papel de criança um estereótipo desleal e cruel se amedronta diante aquela mulher extremamente feia) para nós negros afros brasileiros a Rede GLOBO promove incentiva patrocínio (O soció,olopata Demétrio Magnoli e os jornalopata$$$tas Luiz Carlos Azenha, Diogo Mainardi, Reinaldo Azevedo arautos das elites conservadores patrocinados da Casa Grande contrários a empenhos positivos a favor da sociedade dos afrodescendentes. ) preconceitos raciais que humilha e choca o povo brasileiro. Organização Negra Nacional Quilombo ONNQ 20/11/1970 – REQBRA Revolução Quilombolivariana do Brasil - quilombonnq@bol.com.br