A alma do ator


Leila Cordeiro, Direto da Redação

Como alguém normal pode representar um outro alguém tão anormal com tanta perfeição, como faz Mateus Solano com  Félix? E é essa capacidade única de passar para o público uma outra personalidade que faz com que o ator seja grandioso em seu trabalho. E Mateus Solano o é de sobra.

Digno de ser aplaudido em cena aberta num teatro e de pé nos sofás de nossas casas frente à TV, Solano nos remete a vida real com sua performance impecável, digna dos maiores atores que já tivemos no Brasil.

Ele nos faz lamentar, gritar e chorar de ódio pelos monstros verdadeiros que existem por aí que são capazes sim, de jogar crianças no lixo, estuprar outras tantas, estrangular, matar e até esquartejar, como vemos quase diariamente no Brasil e no exterior.

Mateus Solano com seu Félix, também nos faz refletir o porquê de tanta violência pelo mundo. Seriam todos psicopatas precisando de ajuda? De um tratamento médico que não encontram ou não têm acesso ao demonstrarem comportamento errático desde cedo?

Quando se tem notícia do padrasto que mata o menino Joaquim, o casal Nardoni preso por ter matado a menina Isabela e tantos e tantos outros , a gente se pergunta quem é o responsável por tudo isso? Na novela, Walcir Carrasco com sua sutileza e sensibilidade aguçada nos obriga a ler nas entrelinhas da novela, o porquê dessas vilanias, ao sugerir que Félix é apenas um reflexo do que recebeu. Teve um pai que o rejeitou desde cedo por ser efeminado e sentiu na alma a dor da rejeição.

E como um resfriado mal curado,  essas frustrações e sentimentos de rejeição vão se sucedendo até que formam um vulcão em erupção que solta lavas poderosas e flamejantes, atingindo quem estiver por perto, a tal ponto que ferem na alma, como uma vingança de fogo.

Mateus Solano nos faz chorar, sim, interpretando como um maestro da sinfonia dos sentimentos o texto de Walcir. Vemo-nos num verdadeiro teatro da vida real, interpretado magistralmente por quem deve ter algo de especial vindo de alguma inspiração do Universo, pois nos remete às manchetes tristes e aterrorizantes do que acontece no submundo da maldade humana.

A cena de Amor à Vida em que Félix é desmascarado em frente à família por ter jogado a filha da própria irmã numa caçamba de lixo mostra até onde pode ir um ser humano por causa de suas sombrias necessidades e vaidades, até onde pode ir um ser humano que só pensa em si mesmo, que só visa o lado material das coisas. Félix, na ficção, é aquele psicopata, com roupas de butique, que se vê todos os dias acabando com a vida real das pessoas.

Solano, conseguiu atingir o âmago do mais indiferente telespectador com sua interpretação da "vida como ela é". Merece todos os prêmios com louvor e um outro, um cala a boca em muita gente que diz que não vê novela “por ser uma perda de tempo". Essas mesmas pessoas dizem que preferem ver canal a cabo, com séries enlatadas americanas, ou os mais elitistas, enchem a boca quando vão ao teatro.

Respeito todas as escolhas. O seriado americano, a peça de teatro... mas sugiro que essas mesmas pessoas revejam seus preconceitos em relação às novelas dando uma olhadinha no trabalho de grandes atores como Mateus Solano, fazendo jus a outros também da mesma categoria. Que olhem com olhos de artistas o trabalho dessas pessoas que escolheram representar a tragédia e a comédia humana de cada dia. Bravo!”
Enviar Google Plus

About Antonio Ferreira Nogueira Jr.

Contato- nogueirajr@folha.com.br
Revista- WMB

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: