Quem tem medo de mulher segura?

Não lute contra ela, lute com ela
, DCM

"Reza a lenda que homem tem medo de mulher segura. Que corre dez léguas quando vê uma moça que racha a conta do restaurante, sai sozinha sem precisar de guarda-costas, dorme o sono dos justos mesmo que não haja uma conchinha aconchegante e se equilibra no salto agulha sem precisar de uma mão firme que a auxilie.

ADVERTISEMENT
Desconfio – apenas desconfio, por que estou longe de sabê-lo de fato – que os únicos homens que perpetuam este discurso são aqueles que não compreendem o próprio potencial (ou, eventualmente, não o possuem, mesmo).

Um grande homem não se sente atraído pela mulher que se contenta em estar “por trás” dele. Ele compreende que grandes mulheres caminham ao lado. Um homem de verdade não se importa com o fato de sua mulher ganhar mais – porque ele compreende uma verdade tão simples quanto ininteligível para alguns: relacionamentos não são olimpíadas.

Ninguém se relaciona pra provar quem tem mais beleza, mais dinheiro ou mais autoconfiança. Não se trata de uma corrida pra saber quem se importa mais, quem precisa mais, quem valoriza mais. Um companheirismo genuíno não deixa espaço para tais mediocridades – mas só um homem de verdade compreende isto.

Não me cabe rotulá-los, meus caros, mas uma mulher conhece, de longe, aqueles que são homens de verdade e os que só carregam um pau no meio das pernas (assim como, que fique claro, nem todas que carregam um par de peitos são mulheres de verdade, no sentido meritório da expressão).

É que um homem de verdade compreende a liberdade de sua companheira para ser quem ela é. Veja bem, ele não concede esta liberdade – porque esta já pertence a todos nós, homens e mulheres, por direito – ele apenas a compreende, coisa que muitos simplesmente não conseguem. Um homem verdadeiramente admirável não se importa em marcar território. Ele não liga se sua companheira sai sozinha, bebe e mostra o corpo. Ele compreende, sobretudo, que se importar não vai adiantar, porque nós pertencemos a nós mesmos. Todos nós.

Grandes homens não se importam se suas companheiras são belas, ou admiradas, ou desejadas demais. Ao contrário, sentem-se felizes por terem sido escolhidos – desde que respeitados, evidentemente. Eles não fazem questão de esconder suas companheiras dos olhos gaviões, e nem de exibi-las como troféus – eles apenas desfrutam da sorte de um amor tranquilo, em que cada um se deixa a vontade, em que cada um compreende ao outro como a si mesmo.

São lamentáveis estes homens que vivem tentando conter suas companheiras, vivem tentando evitar que elas conheçam a vida porque, conhecendo-a, descobrirão o quanto há coisas infinitamente melhores do que a relação enfadonha que vivem. Um homem que confia no próprio taco – literalmente, em alguns casos – certamente será sempre a prioridade. E se não o for, saberá prosseguir, com a certeza de que um dia o será para alguém.

Os homens que admiramos querem para nós a mesma liberdade que querem para si. A mesma evolução, o mesmo sucesso, os mesmos direitos. Os homens que admiramos lutam conosco. Não nos travam o riso, não nos ajeitam o vestido, não nos controlam o porre ou o vocabulário, não nos exigem comportamento padrão. Eles apenas nos deixam estar.

Chegará o dia – para algumas, já chegou – em que medir forças com a nossa liberdade será um fiasco na vida amorosa de qualquer homem. Por que nós, cada vez mais, optamos por nós mesmas. Portanto, se queres ser este homem, que nos acelera o coração e nos instiga os sentidos, ouça o bom conselho do Chico: deixe a menina sambar em paz."
Enviar Google Plus

About Antonio Ferreira Nogueira Jr.

Contato- nogueirajr@folha.com.br
Revista- WMB

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: