A felicidade está nas pequenas coisas da vida


Rebeca Bedone, Revista Bula

"É, essa vida anda tão agitada. Vivemos num mundo onde grandes coisas acontecem ao mesmo tempo. Enquanto tem um foguete japonês sendo lançado pro espaço em busca das respostas de como se formou o sistema solar, do outro lado do mundo tem protestos americanos contra o racismo. E por aqui continua tudo confuso.

Acordamos cedo e em nossos jornais as mesmas notícias já estragam o desjejum. É mentira aqui, roubo ali, violência acolá. Medo em todos os lugares. Muitas vezes engolimos a desesperança apressados e partimos para os deveres nossos de todo dia.

Aí me contaram sobre um lugar novo. Mas de novo ele não tem muito não, é só a gente que se esquece de vez em quando. E se pudéssemos relembrá-lo? É só desligarmos essa barulheira e pedirmos licença pra correria. Então, vem! Pula aqui que o tapete mágico já está passando!

Pronto. Entramos no nosso sonho voador. Sentiu um beijo fresco no rosto? É o vento nos dando as boas-vindas, para que nossas lembranças dancem como uma revoada de andorinhas. E as nuvens no azul desse céu sem fim nos guiarão ao nosso destino: o mundo das pequenas coisas.

Agora que chegamos, olha aquele menino pisando descalço pela primeira vez na areia da praia, descobrindo os grãos que ficam grudados no meio dos seus dedinhos. E aquela senhora cansada pendurando roupas no varal, ela se distrai com o canto de um bem-te-vi. Repara naquele homem engravatado no trânsito parado, ele ouve música e toca uma baqueta de bateria invisível no volante, parece tão feliz! Sabe? Esse mundo é nosso e fica aqui dentro da gente.

Vamos voar mais um pouco. Para onde você quer ir? Pode escolher, afinal, o sonho também é seu! Eu irei pro descanso na rede da varanda ouvindo o barulho da chuva, à espera do cheiro de terra molhada. Ou podemos ir ao gosto do primeiro beijo na boca e à alegria de ser recebido pelo cachorro ao chegar do trabalho. Voaremos às pequenas coisas da vida porque são elas que nos dão alegria. Como aquela gargalhada contagiante que marcou para sempre o ataque de cosquinha na barriga. Isso não vale o preço do brinquedo ou anel mais caros da loja.

O mundo das pequenas coisas é nosso! E ele é maior do que o mundo das grandes coisas ao nosso redor, esse outro mundão que vira e mexe complica tanto o dia a dia. Por isso, acredito que devemos persistir neste voo e ir além dele. Sair por aí buscando com os olhos, ouvidos, nariz, boca e tato tudo o que nos preenche. E redescobrir todos os dias os sentidos da vida.
Porque da vida de grandes problemas estamos cheios. Então vamos tornar o mundo maior de pequenas coisas!"

Enviar Google Plus

About Antonio Ferreira Nogueira Jr.

Contato- nogueirajr@folha.com.br
Revista- WMB

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: