Is Corinthians dead? Por Scott Moore

Um jogo sem valor para o Corinthians
Scott Moore, DCM

"Ladies & Gentlemen:

O que está acontecendo com o Corinthians?, me pergunta, aflito, Boss.

Em meia semana perder do Palmeiras e do São Paulo é coisa demais, diz ele.
Pois respondo: não está acontecendo nada.

O Corinthians perdeu para o Palmeiras apenas por estar dando mais atenção para a Libertadores do que para o Paulista.

E perdeu para o São Paulo porque já estava classificado para as quartas de final da Libertadores e o São Paulo jogava sua vida, e no seu estádio.

Eram motivations bem diferentes. Não bastasse isso, Sheike cometeu uma estupidez que logo de saída deixou o Almighty com um a menos.

Pensei que tinha sido a coisa mais imbecil que vi em muito tempo no futebol o toque que Sheike deu num zagueiro para derrubá-lo.

Mas depois Fab Louis me desmentiu. Diante de todas as câmaras de uma partida decisiva de Libertadores, ele quis enganar o juiz. Fingiu que o atacante corintiano deu uma cotovelada em seu rosto.

Aqui em Londres, nos sites de futebol, a imagem da farsa de Fab Louis foi amplamente veiculada e discutida.

“A pior encenação da história do futebol”, afirmou um desses sites.

Como escreveu Churchill, a esperteza, quando é demais, morde o esperto.

Não que Fab Louis tenha sido esperto no lance, mas o fato é que ele saiu do lance com um cartão vermelho, o que leva a crer que existe um mínimo de justiça no futebol sul-americano.

Menos justa, para não dizer absurda, foi a expulsão, no mesmo lance, da vítima da mentira de Fab Louis.

Ele apenas tirou o braço de Fab Louis de seu cangote, e recebeu um cartão vermelho como se, de fato, tivesse dado uma pancada no rival.

Quanto ao Timão, disse a Boss que, por mais estranho que pareça, os dois últimos jogos não valiam nada.

O que vale é o que vem pela frente.

Tenho para mim que, contra os paraguaios na próxima etapa da Libertadores, veremos outra vez aquele Corinthians que vinha encantando mesmo torcedores do São Paulo, do Palmeiras e do Fish.

É um time que parece jogar melhor sob pressão. E nos jogos desta semana, estava relaxado como um monge tibetano.

Sincerely.

Scott Moore

Tradução: Erika Kazumi Nakamura
Enviar Google Plus

About Antonio Ferreira Nogueira Jr.

Contato- nogueirajr@folha.com.br
Revista- WMB

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: